God is love?!


Entendendo o Conceito do Amor de Deus Pai

“Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus.” IJo 3:1a)

A grandeza do amor de Deus excede o nosso entendimento. Não somos meramente chamados filhos de Deus; somos filhos de Deus, verdadeiramente. Não só temos o nome, mas também a realidade. E isso inclui espanto nessa exclamação genuína de perplexidade misturada com gratidão. Tanto nos capítulos anterior e posterior a este versículo, como no evangelho que escreveu, o apóstolo chama a atenção para olharmos e avaliarmos a grandeza do amor do Pai: eterno, imenso e sacrificial. Gracioso e altruísta, o amor do Pai é um amor explícito, ativo e íntimo. É o elo que une Aquele que dá aos que recebem. Como filhos de Deus e recipientes do amor divino, confessamos que não somos capazes de compreender as dimensões desse amor.

A expressão “que grande amor” não significa mera “magnitude”, mas aponta para a peculiaridade desse amor de Deus por nós, pessoas indignas, degeneradas e maculadas pelo pecado. Antes inimigos de Deus, ao sermos agora recebidos por Ele como filhos, passamos entender que somente um amor que sofre, sustenta e sangra, é capaz de nos perdoar. Mediante um deliberado ato de adoção (Rm 8:14-17; ICo 1:9; Gl 3:26-27; 4:6-7) por parte de Deus, pela Sua graça, entramos na Sua família, com o direito de gozar de uma íntima, amorosa, contínua comunhão que amadurecem estreitamente dia a dia.

Que honra saber que Deus nos chama de filhos e nos dá a certeza de que, como filhos dEle, somos herdeiros e co-herdeiros com Cristo (Rm 8:17) e de que desfrutamos de todos os direitos e privilégios acarretados por essa filiação, sentindo os Seus cuidados sobre as nossas vidas. Mas além de herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo, somos sacerdotes santos (IPe 2:5), somos novas criaturas (IICo 5:17) e somos participantes da natureza divina (IIPe 1:4). Entretanto, mais do que qualquer uma das descrições acima – mais importante do que qualquer título ou cargo – é o simples fato de que somos filhos de Deus e que Ele é o nosso Pai celestial.

Agora, já transformados em novas-criaturas, quando vivemos o papel de pais, podemos refletir sobre o que significa a palavra “pai”, e sentimos o tamanho do privilégio e da responsabilidade que recebemos de Deus de cuidarmos dos nossos filhos, na perspectiva de prestar-Lhe contas quando com Ele nos encontrarmos.Como filhos, a Deus toda a nossa gratidão, por nos ter confiado a pais humanos, que mesmo imperfeitos, como nós, tiveram corações desejosos de fazer o melhor pelas nossas vidas. As nossas orações são para que os pais crentes – os que já são filhos de Deus – continuem firmes no Senhor, irradiando exemplo e testemunho, do lar para a sociedade. E para os pais que ainda não conhecem o Senhor – os que ainda não receberam a adoção de filhos – que Deus lhes contemple com a Sua grande misericórdia e lhes propicie essa tremenda bênção de filiação a Ele, derramando-lhes a Sua graça maravilhosa.

Soli Deo Gloria

Fulano de tal

Outros Artigos
O amor de Deus

Celebrando a Páscoa

Havia cerca de 400 anos em que o povo hebreu vivia entre os egípcios, num regime de escravidão, absorvendo os costumes e cultuando os deuses de um povo politeísta, idólatra e até mesmo, com práticas ocultistas...

Orai sem cessar

Orai sem cessar

Obviamente, não precisamos estar o dia todo orando com cabeças abaixadas e olhos fechados...

Deus e Homem

Como Jesus pode ser Deus e Homem?

Tão admirável como a Doutrina da Trindade é a Doutrina da Encarnação, ou seja, que Jesus é Deus e Homem ao mesmo tempo, eternamente, numa só Pessoa...