Orai


“Orai Sem Cessar” ITs 5:17

Obviamente, não precisamos estar o dia todo orando com cabeças abaixadas e olhos fechados. O apóstolo Paulo referia-se a uma atitude de consciência da presença de Deus e de correspondente submissão diante dEle, submetendo-se à Sua sábia orientação todo o tempo. Todo momento em que estivermos acordados deve ser vivido com a consciência de que Deus está conosco e está ativamente envolvido em nossos pensamentos e ações. Orar sem cessar significa em tudo e em todo instante estar sob o conselho de Deus.

Os nossos pensamentos e atitudes devem ser guiados por Aquele que habita em nós (Rm 8:26-27). Quando preocupação, medo, desencorajamento ou ira, ocupa a nossa mente devemos consciente e rapidamente tornar todo pensamento em oração e toda oração em ação de graças. Paulo exortou os Filipenses a não mais serem ansiosos, mas ao contrário, a apresentarem diante de Deus as “petições pela oração e pela súplica, com ações de graças” (Fp 4:6). Aos crentes de Colossos ele exortou a perseverarem “na oração, vigiando com ações de graças” (Cl 4:2). Os da igreja de Éfeso foram por Paulo exortados a enxergarem a oração como uma arma a ser usada em batalhas espirituais (Ef 6:18). Conforme Richard Sibbes, “quando buscamos a Deus em oração, o diabo sabe que estamos querendo mais poder para lutar contra ele, e por isso procura lançar contra nós toda a oposição que é capaz de arregimentar”.

“A oração é o antídoto para todas as nossas aflições”, disse Calvino. E “que melhor guia podemos encontrar para oração além do exemplo do próprio Jesus? Ele dirigiu-Se diretamente ao Pai. O apóstolo nos mostra o que devemos fazer, quando diz que Ele endereçou Suas orações Àquele que era capaz de livrá-lO da morte. Com isso ele quer dizer que Cristo orou corretamente, visto que recorreu ao Deus que é o único Libertador”.

Durante o todo do dia, oração deve ser a nossa primeira resposta a toda situação atemorizante, a todo pensamento ansioso, bem como, ao reconhecimento de que Deus nos acompanha, orienta e protege. Mais que isso, deve ser a primeira fase da nossa sujeição Àquele que tem o comando de todas as coisas. John MacArthur advertiu que a falta de oração faz com que paremos de depender da graça de Deus e passemos a depender de nós mesmos. Orar sem cessar é, em essência, dependência da comunhão com o Pai.

Para os cristãos, oração é como respiração. Ninguém tem que pensar para respirar, porque a atmosfera exerce pressão nos pulmões e o força a respirar. Portanto, é mais difícil prender a respiração do que respirar. De semelhantemente modo, quando se é recebido como parte da família de Deus, entra-se em uma atmosfera espiritual onde a presença e a graça de Deus exercem pressão, ou influência, na vida do novo-nascido. Oração é a resposta normal a essa pressão, porque traduz o desejo de relacionamento com Deus. Como crentes, devemos todos entrar na atmosfera divina para respirar o ar da oração. Só então podemos sobreviver ao ar rarefeito da sociedade.

Se algum crente ainda não busca a contínua respiração espiritual, fazendo isso apenas por breves momentos, há de verificar que isso é insuficiente para sobreviver. Essa restrição do influxo espiritual é causada, muitas vezes, por desejos pecaminosos, como bem afirmou John Bunyan “A oração fará o homem parar de pecar, ou o pecado o seduzirá a parar de orar”. O fato é que todo crente deveria buscar continuamente a presença de Deus para respirar as Suas verdades e serem fortalecidos no derramar de Sua graça.

A busca com insistência por bênçãos físicas leva à dependência dos recursos físicos. Quando programas, métodos e dinheiro produzem resultados impressionantes, há uma inclinação para confundir sucesso humano com bênção divina. Cristãos podem se comportar, na verdade, como humanistas, vivendo como se Deus não fosse necessário. Ao acontecer isto, o desejo ardente por Deus e a necessidade de Sua ajuda vão estar faltando, assim como do Seu poder. Por causa desse grande – e comum – perigo, Paulo encorajou os Cristãos a orar “em todo tempo” (Ef 6:18) e a perseverar na oração (Cl 4:2). Oração contínua, persistente e incessante é uma parte fundamental da vida cristã que tem sua origem na dependência de Deus e no próprio Deus. Charles Spurgeon definiu que “A oração em si mesma é uma arte que somente o Espírito Santo pode nos ensinar”. Recorramos a Ele, então, para que esse oxigênio nunca nos venha a faltar.

“Visto que andamos por fé, e não, pelo que vemos” (IICo 5:7), precisamos “orar sem cessar” (ITs 5:17).

Fulano de tal

Outros Artigos
O amor de Deus

Celebrando a Páscoa

Havia cerca de 400 anos em que o povo hebreu vivia entre os egípcios, num regime de escravidão, absorvendo os costumes e cultuando os deuses de um povo politeísta, idólatra e até mesmo, com práticas ocultistas...

O amor de Deus

Entendendo o conceito do Amor de Deus Pai

A grandeza do amor de Deus excede o nosso entendimento. Não somos meramente chamados filhos de Deus; somos filhos de Deus, verdadeiramente...

Deus e Homem

Como Jesus pode ser Deus e Homem?

Tão admirável como a Doutrina da Trindade é a Doutrina da Encarnação, ou seja, que Jesus é Deus e Homem ao mesmo tempo, eternamente, numa só Pessoa...